PREENCHIMENTO LABIAL É BOTOX?

A toxina botulínica ameniza rugas faciais de expressão por relaxar a musculatura no local de aplicação, como rugas ao redor dos olhos chamadas de pés de galinha, rugas da testa e região entre as sobrancelhas. Existem outras aplicações estéticas como: para sorriso gengival - aquele sorriso em que a gengiva fica excessivamente exposta, para melhorar contorno do rosto na linha da mandíbula, para evitar a queda da pontinha do nariz, para elevar a cauda das sobrancelhas, para reduzir o suor excessivo em axilas, couro cabeludo, mãos e pés, entre outros.

Já o preenchimento é a aplicação uma substância, como ácido hialurônico ou hidroxiapatita de cálcio, em determinada camada da pele para atenuar rugas finas ou profundas - como o famoso “bigode chinês”, repor volume - maça do rosto, queixo, têmporas, olheiras e dorso das mãos, ou harmonizar estruturas faciais - nariz, lábios, ângulo de mandíbula.

Preenchimento labial

O procedimento não chega a ser considerado uma cirurgia pois é realizado no próprio consultório, sem necessidade de internação hospitalar. O paciente pode retomar as suas atividades no mesmo dia.

Os lábios dos pacientes podem ficar inchados após a realização do procedimento, e em poucos dias os resultados já são aparentes. Na aplicação, o local pode ficar um pouco roxo. O resultado efetivo só aparece depois de três semanas e é recomendado que o paciente retorne ao consultório para avaliação.

O efeito do preenchimento labial com ácido hialurônico dura por volta de 10 a 12 meses, pois tem ação temporária e necessita de aplicações periódicas para a manutenção dos resultados. A única substância que tem o resultado permanente é a PMMA, que tem microesferas de acrílico e era muito usada há alguns anos. Hoje em dia essa técnica não é mais recomendada porque pode dar uma reação inflamatória crônica, deixando a região sempre vermelha e inflamada.

Contraindicações

A recomendação depende de uma avaliação profissional. Existem situações de contraindicação, como no caso dos pacientes que têm doenças autoimunes ou alergia ao produto aplicado. Evita-se fazer em gestantes e problemas com problemas de saúde crônicos.